quarta-feira, 10 de junho de 2009

Sendo assim, sou.

Eu já li várias descrições de perfis no orkut, de citações a textos. Muitos colocam o que "gostariam de ser" e raramente escrevem quem realmente são.

Se descrever é algo difícil para muitos, por isso eu considero um achado essa descrição, mesmo sendo amiga minha, me surpreendeu tamanha sinceridade:

Quem sou eu:

A pessoa da foto no canto superior esquerdo do seu vídeo, em cinza, opaca e em baixa resolução, ornando com o tom de tudo aquilo que me define.

Geminiana, bem mais de 20 e poucos, sem renda e na batalha. Formada em arquitetura - decisão providencial de alguém que busca continuamente construir abrigos debaixo de pessoas, projetos e convicções (e ainda assim, se sente desesperadoramente desamparada).

Marque verdadeiro para: introvertida, insegura, sarcástica, vingativa e absurdamente crítica.

Não fumo, bebo o quanto for necessário e sofro de insônia. Não toco instrumento nenhum, não sei dar estrela nem plantar bananeira. Digito com dois dedos, catando milhos. Fico ridícula tentando me equilibrar num salto alto, e minhas demais habilidades são, em geral, limitadas.
Engasgo com coco ralado, sempre queimo a língua com bebida quente, sou incapaz de seguir uma dieta e meus traquejos sociais beiram à falência.

Especialista em remoer mágoas antigas, afastar pessoas e colecionar expectativas frustradas.

Posses: um carro popular, um cachorro lindo, um coração em desuso.

Ambições: 5 quilos a menos, um algo ou alguém a quem me dedicar. E dinheiro, ó-bi-vio.

Gosto de vinho, torta de limão, raspa de brigadeiro, lua cheia, dias nublados, friozinho. filmes do Almodovar, conhecer lugares e pessoas, de só olhar, cinema quase vazio, copo quase cheio, me sentir útil, Ewan McGregor, dólar em baixa, edredon de malha, dirigir sem rumo, joaninhas e borboletas, do Jim.

Detesto pêlos, cheiro de cigarro, dias seguintes, monstruação, palhaços, papais noéis. olheiras, última página de um bom livro. Surpresas, múltipla escolha, nenhuma escolha.

Não acredito em quem não bebe, em atitudes altruístas, em amor de cinema.
Não creio em Deus, mas encontro uma música dos Beatles para acalentar cada um dos males da alma.

Tenho medo de gente boazinha, de palavras erroneamente pronunciadas e acertadamente ouvidas, perdas necessárias, condições irreversíveis, certos pensamentos.

Não gosto de quase nada em mim, exceto a pele boa e a memória curta. Mentira. Minha memória é imbatível. E a consciência, her best friend ever. Se fosse quimicamente manipulada, seria vendida sob rígido controle e embalada com as tradicionais tarjas alertando sobre o perigo da alta dosagem.

Minha timidez, meu jeito de gostar em segredo e ocultar demonstrações de afeto nas entrelinhas são facilmente confundidos com arrogância, frieza ou apatia por aqueles que me conhecem pouco. E, afinal, ainda busco quem são as pessoas que, mesmo cientes de tudo isso, me aceitam assim.

[Thaís Nicoletti]

Defenestrar-te-ei
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?rl=cpn&cmm=1737566

4 Comentários:

· bruno disse...

Não é facil mesmo encontrar quem se defina tão bem assim.. Afinal, nesse mundo de hoje, parece que todos precisam agradar à sociedade e esquecem de ser quem são (: Mas é isso ai, boa descrição :*

Rossetti disse...

sinceramente, nunca vi uma descrição melhor!

:)

parabéns!!

beijão!

exoticlic.com disse...

Uhulll ao menos ela se descreveu mto bem e com um sotaque de poeta =D

real na maioria dos perfis que passamos encontramos musicas e um monte de porcaria eu cosume me descrever mas por completo é impossivel nós estamos em constante transformação né...
!!!

Cíntia Mara disse...

Sua amiga escreve bem mesmo. No meu orkut quase sempre tem música, eu até escrevo, mas no final acho q ficou horrível e troco de novo, rsrs.

Bjs, bom feriado!

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO  

BlogBlogs.Com.Br