segunda-feira, 23 de março de 2009

Parabéns pra você, nesta data querida...


Na minha insistente "mania" de
tentar me lembrar de tudo,
me frustro.

Se nossa memória "grava" os momentos mais
importantes de nossas vidas para "toda a vida",
por que não nos lembramos do dia mais
importante de todos?

Nosso nascimento...

Então penso que algumas das memórias
que marcaram nossas vidas são esquecidas também,
alguns "traumas" a nossa memória bloqueia numa
maneira de nos preserva de "reviver" uma dor.

Claro que há as explicações cientificas para não
nos lembrarmos de memórias tão antiga,
mas não acho absurdo pensar que
talvez ter nascido tenha sido
a maior dor das nossas vidas.

Fisicamente, imagine-se na mesmas posições por nove meses,
eu nunca vi um ultra-som de uma criança com braços
e pernas esticados, imagine sentir a dor de esticá-los ao nascer,
imagine ver a luz pela primeira vez, imagine ser arrancado
do seu "aconchego" pelos pés ou pelo pescoço e ser puxado,
sentir frio ou calor pela primeira vez,

Nos separam de alguém que cuidou,
progetegeu, alguém que amamos.

Chorar em desespero é o mínimo,
"nunca mais nada vai ser igual a antes".

Psicologicamente, acredito que, "nascer dói de mais"
e para nascer é necessária uma dor inimaginável,
talvez naquela hora o desespero seja "prever"
que o a vida é incerta, não depende apenas das nossas
atitudes e de repente, sem aviso algum somos
arrancados da nossa segurança, teremos que crescer,
nos vemos sozinhos, obrigados a "conhecer o mundo"
conhecer assim outros tão distintamente
iguais a nós...

Então quantas vezes na vida nós nascemos?

Quantas vezes na vida somos expostos a uma dor
que pensamos ser insuperável, que nos apavora,
que nos deixam cheios de incertezas,
que nem foi provocada por nós mesmos,
choramos em desespero e pensamos que
"nunca mais nada vai ser igual a antes".

Acredito que toda vez que passamos por algo assim
e conseguimos de certa forma esquecer
e superamos a nossas dores,
saímos da escuridão dos nossos traumas e vemos
uma "luz no fim do túnel",
nascemos de novo e estamos
prontos para voltar a viver e crescer.

É necessário a dor para se nascer,
chorar faz parte do crescer.


Um mês, nove meses, um anos, décadas,
o tempo de cada um é opcional!



Vivendo, Aprendendo com a vida
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=714801

1 Comentário:

Filipe disse...

Nossa! Incrível!

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO  

BlogBlogs.Com.Br